Informação


Este blogue foi criado há alguns anos para divulgar a poesia e as artes plásticas dos verdadeiros artistas...Por vezes, coloquei alguns humildes trabalhos meus, mas vou deixar de o fazer, e em defesa da coerência criei um outro blogue, com características pessoais, o qual vos convido desde já a darem uma olhadela em:

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

para o meu pai











dizes que a horta enche os teus dias
e que os dias são a tua jardinagem
que deles te ocupas

e que não há passado e que não há futuro
e que essa monotonia não te cansa
porque nada esperas que não seja o tempo

e que o tempo é só essa monotonia fragmentada
que ao fim do dia se reúne num clarão
ao qual te reúnes também sem esforço

e que por isso não pensas
porque vês e és simples
as tuas atribulações são mínimas

destroços fora do lugar
que sendo óbvio lhes destinaste
uma ave que em pleno voo se rebela ou se perde

os frutos que amadurecem
às vezes devagar
outras vezes depressa

os cães que de súbito rosnam sem razão
mas que aceitam resignados
a tua dieta austera

parte do muro que se esbarrondou
e às vezes coisas assim dão-te alguma fúria
sem a qual ficarias demasiado só

dizes também
que os canteiros de flores são agora uma fronteira
que separa a horta da casa

e que o poço está inçado de aranhas e cobras
mas que a água continua potável
porque assim o decidiste também

dizes por fim sem o dizer na tua voz bragada
que sentes a minha falta e que guardas os melhores figos
«para quando tu vieres».

1 comentário: