Informação


Este blogue foi criado há alguns anos para divulgar a poesia e as artes plásticas dos verdadeiros artistas...Por vezes, coloquei alguns humildes trabalhos meus, mas vou deixar de o fazer, e em defesa da coerência criei um outro blogue, com características pessoais, o qual vos convido desde já a darem uma olhadela em:

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Sebastião Alba


Nem o frio nem o sol

Nem o rapaz drogado
(que lhe roubava o rádio)

Nem os outros mendigos
(que lhe roubavam o vinho)

Nem os que o amaram

Nem os que lhe fugiam

Nem os que lhe roubavam os versos

Nem os que lhe deram banho

Nem o condutor do carro que o atropelou

Nem o ministério da cultura que lhe deu a tença

Ninguém impediu o abismo
E o prendeu à vida

Todos suspiraram de alívio com a morte
Do sem-abrigo

E no entanto poeta:

Nos versos e na vida.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

O pintor Duarte Pimentel











O Manjerico


sentia
que vivera mais
do que devia
para o bem estar
do país
que a vida
de velho reformado
era uma esmola
           imerecida
um perigo para o equilíbrio
financeiro de Bruxelas
      e ainda que trouxesse
      dentro de si pedaços
               de terra arável
      onde germinava a fraternidade
      só podia plantar
      um pequeno vaso de manjericos
               na noite de Santo António

domingo, 29 de janeiro de 2012

O pintor Júlio Pomar











Voz de Comando


Amanhece.
Erguei-vos, corpo e alma, combatei!
Juntos, como num rio
Águas da planície e da montanha,
Aliados, correi
À batalha do mundo, que se ganha
No mundo.

Mundo cruel e duro, mas que eu amo,
Apaixonado pelos seus encantos.
Visito-lhe os recantos,
Sonho um abraço que o abarque todo.
De vez em quando há lodo
Nos baixios,
Mas olho os montes, limpos, preservados
Na sua altura,
E renasce-me a esperança ao vê-los debruados
De rebanhos e neve - a máxima brancura.


sexta-feira, 27 de janeiro de 2012



Não gosto tanto
de livros
como Mallarmé
parece que gostava
eu não sou um livro
e quando me dizem
gosto muito dos seus livros
gostava de poder dizer
como o poeta Cesariny
olha
eu gostava
é que tu gostasses de mim
os livros não são feitos
de carne e osso
e quando tenho
vontade de chorar
abrir um livro
não me chega
preciso de um abraço
mas graças a Deus
o mundo não é um livro
e o acaso não existe
no entanto gosto muito
de livros
e acredito na Ressurreição
dos livros
e acredito que no Céu
haja bibliotecas
e se possa ler e escrever

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

No amanhecer de ti


No amanhecer de ti cabem
todas as janelas
porque és a dimensão
onde as viagens são possíveis
e deixas uma sombra
de castelo encantado
na meia luz das salas
onde o teu corpo passa
dá-me a tua mão
e veste-me de ti
quero partir sem medo
quero partir sem mágoa
na estrada dos teus olhos
onde as pedras são de água.