Informação


Este blogue foi criado há alguns anos para divulgar a poesia e as artes plásticas dos verdadeiros artistas...Por vezes, coloquei alguns humildes trabalhos meus, mas vou deixar de o fazer, e em defesa da coerência criei um outro blogue, com características pessoais, o qual vos convido desde já a darem uma olhadela em:

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Soneto XXIX

Vens da pobreza das casas do Sul,
das regiões duras com frio e terramoto
que quando até os seus deuses rolaram para a morte
nos deram a lição da vida na greda.

És um cavalinho de greda negra, um beijo
de barro escuro, amor, amapola de greda,
pomba do crepúsculo que voou nos caminhos,
cofre com lágrimas da nossa pobre infância.

Môça, conservaste o teu coração de pobre,
os teus pés de pobre acostumados às pedras,
a tua boca que nem sempre teve pão ou delícia.

És do pobre Sul, de onde vem a minha alma:
no seu céu a tua mãe continua lavando roupa
com a minha mãe. Por isso te escolhi , companheira.


                          Acrílico e tinta da china sobre papel - Vasco Barreto

Sem comentários:

Enviar um comentário