Informação


Este blogue foi criado há alguns anos para divulgar a poesia e as artes plásticas dos verdadeiros artistas...Por vezes, coloquei alguns humildes trabalhos meus, mas vou deixar de o fazer, e em defesa da coerência criei um outro blogue, com características pessoais, o qual vos convido desde já a darem uma olhadela em:

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Café

XI
(Começo a desmanchar a comédia do meu amor pelos pobres e humilhados.)

Insulto-me ao espelho.
                                     Covarde!
Tem ao menos coragem de gritar ao mundo
que te enojas da carne dos pobres
suja dos rasgões da noite,
sem pus de estrelas nas chagas
ou lírios na pele roxa.

Confessa que preferes ir para casa
inventar a dor que não dói
mas adormece de silêncio
com violinos de lágrimas
a angústia do teu coração
de lua deserta.

Eh! covarde!
Arranca essas lágrimas dos olhos
que trazes apenas para te enfeitarem de ternura.

E chora por ti
às escondidas
de qualquer maneira
- mesmo por dentro das gargalhadas.

                                 Esboço de Vasco Barreto

2 comentários:

  1. Dificilmente desmancharia essa comédia porque, acima de tudo, não é comédia nenhuma; estou a comentar de mãos limpas porque sou efectivamente pobre e só não sou humilhada porque me esforço por acreditar que cada poema que escrevo vale o ar que respiro... mas talvez não valha:) Que importa preocupar-me com isso? Escrevo tão compulsivamente que não escrever, para mim, será morrer...

    ResponderEliminar
  2. Pois eu sou um daqueles que gosta muito daquilo que escreve. Sei que há muitos mais. A sua poesia tem alma, tem doçura, mas tem sobretudo o desencanto e a firmeza de quem luta dia-a-dia por melhores condições para todos.
    Bem-haja!

    ResponderEliminar