Informação


Este blogue foi criado há alguns anos para divulgar a poesia e as artes plásticas dos verdadeiros artistas...Por vezes, coloquei alguns humildes trabalhos meus, mas vou deixar de o fazer, e em defesa da coerência criei um outro blogue, com características pessoais, o qual vos convido desde já a darem uma olhadela em:

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Alguns trabalhos de Ana Negrão

                                                   Amália

                                             Desencontrados

                                                  Gerações

                                             Leveza do Ser

                                                 Ponto de Vista

                                                Triunfo
                                              
                                                Horizonte

                                                        Novos Rumos

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

EDUCAÇÃO SENTIMENTAL

Põe devagar os dedos
devagar...

e sobe devagar
até ao cimo

o suco lento que sentes
escorregar
é o suor das grutas
o seu vinho

Contorna o poço
aí tens de parar
descer, talvez
tomar outro caminho...

Mas põe os dedos
e sobe devagar...

Não tenhas medo
daquilo que te ensino

                                  Desenho de Vasco Barreto

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

FASCISMO

Quando os legionários se exercitavam na praça da aldeia,
com mausers de pau e baionetas de cozinha na ponta,
um tédio antigo fazia com que eu mergulhasse em livros
e ilustrações, procurando outros mundos. Detrás do muro,
vozes de comando podiam interromper a leitura; o que não
interrompiam era esse tédio que se prolongava para o dia
seguinte, quando o dia nascia igual ao dia de ontem, e
nada iria mudar no horizonte. É verdade que os pássaros
chegavam e partiam, em nuvem, no céu; e que as
árvores perdiam e ganhavam folhas, ano após ano, sem
que se desse por isso, como se o tempo passasse numa
rotina de estações que nos impunham com a mesma
autoridade com que os legionários marchavam, no adro,
pisando as pedras e o musgo. ""Mas quem nos impõe as
estações?", perguntei. E pus de parte o deus que o fazia,
como se punha de parte quem mandava marchar os
legionários que se exercitavam na praça da aldeia. "Quem
manda?", perguntavam eles. E eu respondia, em seu lugar:
"Deus!" - e punha deus fora da minha cabeça. Hoje,
já não há legionários na aldeia; e os pássaros chegam e
partem, como as árvores perdem e ganham folhas, sem
que se dê por isso. O que é igual é a ausência de deus
na minha cabeça, mesmo que ele por lá ande, numa
distracção do infinito, dando ordens aos pássaros, e
mudando a cor das árvores, em cada novo outono.

                                    Desenho de Vasco Barreto

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Fantasias

Tenho, às vezes, desejos delirantes
De a todos te roubar, meu lírio amado!...
E levar-te, em voo arrebatado,
Aos países fantásticos, distantes.
...
À India, China, ou o Irão, e os meus instantes
Passá-los, a teus pés, grave e encruzado,
Num tapete chinês aveludado,
Com flores ideais e extravagantes.

Nossa vida seria -ó pomba minha! -
Mais leve do que a asa da andorinha,
E, nas horas calmas, eu e tu...

Olhando o mar sereno, o mar unido,
Comeríamos os dois arroz cozido...
Embalados num junco de bambu!


                                      Desenho de Vasco Barreto

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Cada vez mais para trás...

As vacas pastam nos campos
calmas
absortas de animalidade
assim vivem certos homens
mergulhados na verdade
e sem nunca perceberem
que mentira e dúvida
é quando batem a porta atrás de si
e saem do seu habitáculo
para debaixo do sol
e a verdade lá vai ficando
cada vez mais para trás
certos homens
como vacas
abortos pastam verdades e saem...

domingo, 3 de fevereiro de 2013

De repente a minha vida


...De repente a minha vida
Sumiu-se pela valeta...
- Melhor deixá-la esquecida
No fundo de uma gaveta...

(- Se eu apagasse as lanternas
... Pra que ninguém mais me visse,
E a minha vida fugisse
Com o rabinho entre as pernas?...)

 
                                          Desenho de vasco Barreto