Informação


Este blogue foi criado há alguns anos para divulgar a poesia e as artes plásticas dos verdadeiros artistas...Por vezes, coloquei alguns humildes trabalhos meus, mas vou deixar de o fazer, e em defesa da coerência criei um outro blogue, com características pessoais, o qual vos convido desde já a darem uma olhadela em:

domingo, 30 de junho de 2013

A Secreta Colina

Temos em comum
A respiração daquele lugar.
Um largo antigo, de sonho
Onde partilhámos silêncios,
Delírios, o lume do olhar.
Mudámos um pouco, aquele
Já não é o nosso lugar.
Cada um persegue agora
A música de outras pegadas.
Mas no fundo, é com ternura
Que voltamos, quando falamos,
À secreta colina. Onde dois
versos surgiam sempre
Ao virar da esquina...

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Nelson Mandela


 
                                         
Nascemos para manifestar
a glória do Universo que está dentro de nós.
Não está apenas em um de nós: está em todos nós.
E conforme deixamos nossa própria luz brilhar,
inconscientemente damos às outras pessoas
permissão para fazer o mesmo.
E conforme nos libertamos do nosso medo,
nossa presença, automaticamente, libera os outros.

 
Desenho de Vasco Barreto

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Lamento

Pátria sem rumo, minha voz parada
Diante do futuro!
Em que rosa-dos-ventos há um caminho
Português?
...
Um brumoso caminho
De inédita aventura,
Que o poeta, adivinho,
Veja com nitidez
Da gávea da loucura?

Ah, Camões, que não sou, afortunado!
Também desiludido,
Mas ainda lembrado da epopeia...
Ah, meu povo traído,
Mansa colmeia
A que ninguém colhe o mel!...
Ah, meu pobre corcel
Impaciente,
Alado
E condenado
A choutar nesta praia do Ocidente...

                                       Desenho de Vasco Barreto

terça-feira, 11 de junho de 2013

Crença

Acreditei que eras diferente,
que podias adormecer
sob o toque do meu olhar.
Construí miragens
para te poder sentir,
e deixei inacabado
o esboço do teu corpo.

acreditei num caminho
parco de luzes
em que as mãos presas nas mãos
sabiam o rumo no escuro das ruas.

A ti, entreguei-me devagar.

Em cada verso que fiz
vagueei dentro de mim,
procurei-te,
e escutei a tua voz
que queria voar
para longe dos meus olhos.

Acreditei que eras diferente,
agora...
Resta-me continuar a caminhar.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Fogo das Florestas

Incendeio no fogo das florestas velhas
essas bocas apodrecidas
paridas pela morte
onde os desafectos incorporados
renascem súbito
e lhes cerram os olhos
nas lâminas queimadas das palavras...