Informação


Este blogue foi criado há alguns anos para divulgar a poesia e as artes plásticas dos verdadeiros artistas...Por vezes, coloquei alguns humildes trabalhos meus, mas vou deixar de o fazer, e em defesa da coerência criei um outro blogue, com características pessoais, o qual vos convido desde já a darem uma olhadela em:

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Mapas, Selos

Numa praia deserta, o crânio rebocado
pelos abutres arrasta pensamentos, pálpebras
pesadas.
Os ouriços do mar preenchem as suas órbitas
descarnadas.
Só os cadáveres inteiros são presa dos astros....
Aqui, os pedaços de cérebro despedaçaram-se,
há muito, nas falésias do sono.
Há muito, os pedaços de céu soçobraram,
despenhadas nas ondas.
Tudo se resgata, no entanto, nas fileiras
da noite.
O céu, o vinho e os abismos, os cedros negros,
as janelas circulares redundam,
e no rumor do cansaço, resgatando o vazio
interior, criando mapas, selos,
na vulva primordial dos corais de sangue
que urdem pérolas, peónias,
relógios lunares

na flor matinal da perfeição.

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

A Esperança Enlaçava a Âncora

A esperança enlaçava a âncora
por sobre o banco de Antero...
Foi-se a idade da bala no céu da boca
(pois que outro céu havia?)
e a da morte acerca de cujos lances,
na guerra, os tabus são omissos:
como ir-se babando pelo chão
atrás de um olho seu.
Esperarei até que as unhas se encaracolem,
sem um corredor entre os cimos das árvores
nem outra evasão em que vogue,
que a Ursa Maior me fareje
da sua constelação, e se aproxime.

sábado, 7 de setembro de 2013

Notícia para colar na parede

Por aqui andamos a morder as palavras
dia a dia no tédio dos cafés
por aqui andaremos até quando
a fabricar tempestades particulares...

a escrever poemas com as unhas à mostra
e uma faca de gelo nas espáduas
por aqui continuamos ácidos cortantes
a rugir cotidianamente até ao limite da respiração
enquanto os corações se vão enchendo de areia
lentamente
lentamente

                                Desenho de Vasco Barreto