Informação


Este blogue foi criado há alguns anos para divulgar a poesia e as artes plásticas dos verdadeiros artistas...Por vezes, coloquei alguns humildes trabalhos meus, mas vou deixar de o fazer, e em defesa da coerência criei um outro blogue, com características pessoais, o qual vos convido desde já a darem uma olhadela em:

quarta-feira, 30 de abril de 2014

o suporte da música


O suporte da música pode ser a relação
entre um homem e uma mulher, a pauta
dos seus gestos tocando-se, ou dos seus
olhares encontrando-se, ou das suas

vogais adivinhando-se abertas e recíprocas,
ou dos seus obscuros sinais de entendimento,
crescendo como trepadeiras entre eles.
o suporte da música pode ser uma apetência

dos seus ouvidos e do olfacto, de tudo o que se
ramifica entre os timbres, os perfumes,
mas é também um ritmo interior, uma parcela
do cosmos, e eles sabem-no, perpassando

por uns frágeis momentos, concentrado
num ponto minúsculo, intensamente luminoso,
que a música, desvendando-se, desdobra,
entre conhecimento e cúmplice harmonia.

Desenho de Vasco Barreto
  

sábado, 5 de abril de 2014

O Tempo e o Mar

Era um homem, a sombra de um homem e
caminhava para o mar.
Estas pegadas
são o obscuro rumor do tempo
e o tempo é uma vara oblíqua nas mãos de deus.
Que fará um homem com as dores do mundo,
com a última gota dos cálices ao lado da morte?
Reconstruir o rosto da amada,
dar vida à sua silenciosa vida?
Matar,
no súbito ardil do outono, os vestígios de uma
palavra secreta?
Há uma cidade profunda onde em profunda água
ela o esquece.
Quem para o mar caminha
leva consigo a maldição das ilhas como um
lírio quebrado, uma ânfora de pólen,
um adeus.


terça-feira, 1 de abril de 2014

ChEiRoS

Quanto tempo vive a morte?
Que pedaços faltam para que o mar acalme?
Quantos rios ainda?
Tudo permanece tão vivo...
Os papéis, os livros, as bonecas, as borrachas, fotografias,
discos, o casaco pendurado na cadeira...
E a janela não se abriu.
Porque tu, mãe, ainda cheiras por todo o lado.