Informação


Este blogue foi criado há alguns anos para divulgar a poesia e as artes plásticas dos verdadeiros artistas...Por vezes, coloquei alguns humildes trabalhos meus, mas vou deixar de o fazer, e em defesa da coerência criei um outro blogue, com características pessoais, o qual vos convido desde já a darem uma olhadela em:

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

MEU MENINO, INO, INO

           1

Dos versos que exprimem,
Estou cansado!

Das palavras que explicam,
Estou cansado!

Dos gestos que explodem,
Estou cansado!

Ai, embala-me, fútil, e frágil, no ó-ó dos teus versos,
Ai, encosta-me ao peito...!

Mais não quero que ser embalado.

           2

O menino está doente...
 - Diz a mãe.

Qui-é qui-é
Que o menino tem?
Ai...!
Diz o pai.

A criada velha chora pelos cantos
E reza a todos os santos...

Afirma o senhor doutor
Que amanhã que está melhor.

O pai suspira:
- Quem sabe lá?!

E o menino diz:
- Papá...!

A mãe chora:
 - Quem já me dera amanhã!...

E o menino diz:
 - Mamã...!

E, com a febre, rezinga,
E choraminga,
Olhando a Lua amarela
Como uma vela:
 - Quero aquela péla...!

Mas o Pai do Céu sorri:
 - Vem cá vê-la!
É para ti.

        3

 - Acabaste?

 - Meu amor, acabei.

 - Apagaste a candeia? apagaste?

 - Meu amor, apaguei.

- E fechaste o postigo? e fechaste?

 - Meu amor..., sim, fechei.

 - Que rumor é aquele? não sentes?

 - Meu amor, que te importa?
 É a vida a dar socos na porta.
 É lá fora. são eles. É o mundo. São gentes...

 - São gentes? Quem são?

 - São colegas, amigos, parentes...

 - Vai dizer-lhes que não! Vai dizer-lhes que não!

Desenho: Vasco Barreto

Sem comentários:

Enviar um comentário