Informação


Este blogue foi criado há alguns anos para divulgar a poesia e as artes plásticas dos verdadeiros artistas...Por vezes, coloquei alguns humildes trabalhos meus, mas vou deixar de o fazer, e em defesa da coerência criei um outro blogue, com características pessoais, o qual vos convido desde já a darem uma olhadela em:

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

O coração, afinal

Porque espreitais, lágrimas?
Viciosas, importunas, tão furtivas e tão repetidas.
Lendo, pensando... solícitas, solícitas!

Que é que se chora?
Nada, nem se sabe.
O que não foi e podia ter sido...
O que foi sem ter sido...
O impreciso, tudo e nada, toda a vida!

Mas como caem elas?
Se passam dos olhos rolam de repente, redondas,
redondas, apressadas...
E logo esquecem.
Mal de esquecer, pior que o de lembrar.
Anular!

O coração, afinal, não é mais que um bocado de
terra ou de erva sempre a murchar e a rebentar.
E nessa fadiga, nessa lida, se gasta, se empobrece,
se inutiliza!

                                   Desenho: Vasco Barreto

Sem comentários:

Enviar um comentário