Informação


Este blogue foi criado há alguns anos para divulgar a poesia e as artes plásticas dos verdadeiros artistas...Por vezes, coloquei alguns humildes trabalhos meus, mas vou deixar de o fazer, e em defesa da coerência criei um outro blogue, com características pessoais, o qual vos convido desde já a darem uma olhadela em:

terça-feira, 31 de março de 2015

Poema Prosa - XLIV

Por vezes ainda sinto saudades do tempo em que acreditava que irias entrar pela janela, com as mãos cheias de luar para mim. Mas nada mudando, este nosso desencontro embarga uma enorme tristeza: o meu olhar iria anunciar a tua dificuldade em viver perto do amor; sei que irias chorar para dentro. E eu, a querer bailar contigo, olhos nos olhos..., o coração a bater com o teu, iria chorar também e escondida, para não te entristecer ainda mais, com a desilusão que me darias.
Por vezes ainda tenho saudades do tempo em que entravas pela janela com as mãos cheias de luar para mim. Talvez te guarde assim, como quando me perco a contemplar a lua cheia e ela fica a brilhar no escuro dos olhos, quando eles se fecham, já longe.

Maria João Saraiva - "A Dor que me Deixaste"
Ilustração: Vasco Barreto.

Sem comentários:

Enviar um comentário