Informação


Este blogue foi criado há alguns anos para divulgar a poesia e as artes plásticas dos verdadeiros artistas...Por vezes, coloquei alguns humildes trabalhos meus, mas vou deixar de o fazer, e em defesa da coerência criei um outro blogue, com características pessoais, o qual vos convido desde já a darem uma olhadela em:

terça-feira, 26 de maio de 2015

PRAÇA DO IMPÉRIO

Pertenço a um género de portugueses
que não ficou como Fernando Pessoa
desempregado. Estou sempre a descobrir...

a Índia. Às vezes deixo a caneta navegar
e quando dou por mim estou quase em Calicute.
Há palavras com Índia dentro.

E em certas letras e em certas sílabas
há caminhos marítimos nunca navegados.
Buscar a Índia é a profissão do poeta.

A escrita é essa navegação.
Por vezes as vogais são mais propícias
para os cabalistas elas são a música

mas é nas consoantes que se dobra o Cabo
e decisivamente se vira para o sul.
A Índia é um descobrir e nunca descobrir

mesmo quando se olha com Albuquerque
pela última vez as muralhas de Goa. Como ele
aqui desta praça olhando o rio

sem me dar conta eu estou a ir além
por esse mar oculto onde se chega
à Índia que se tem e não tem.

Manuel Alegre in Nada está Escrito.
Desenho: Vasco Barreto.

 

Sem comentários:

Enviar um comentário