Informação


Este blogue foi criado há alguns anos para divulgar a poesia e as artes plásticas dos verdadeiros artistas...Por vezes, coloquei alguns humildes trabalhos meus, mas vou deixar de o fazer, e em defesa da coerência criei um outro blogue, com características pessoais, o qual vos convido desde já a darem uma olhadela em:

domingo, 19 de julho de 2015

Cinza, Claridade e Corpo

Do rosto ao traço a mão inquieta
Rumor de palavra liberta em murmúrio de luz.
Treva magoada. Ainda...

Subtis formas. Desvairadas. Danças multicores...
Insinuando-se em corpo vago sob os dedos
Imprecisos no interior do sopro alvoraçado...

Tudo se conjuga embora - linhas e cores!
E o olhar de fera! E as imprevisíveis asas:

Anjo da História!

O poeta tão por dentro é apenas testemunha.
O drama está além - na orla de nada!
Entre o ferventar de mosto e o chamamento de água
Granítico ainda. E inquieto lume que explode...

Talvez na fissura da pedra se erga a face dos homens.
E a flor dos lábios. E os braços líquidos. Generosos.
E os punhos. E rio de cores em que me afundo.

E o poema se faça absoluta claridade.
E os tempos Hora!

Manuel Veiga in Poemas Cativos
Desenho: Vasco Barreto.
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário